A crise

Raquel Varela

global-corporate-profits

Evolução da taxa de lucro nas maiores corporações mundiais, olhem para este gráfico do excelente economista Michael Roberts. A queda dramática de 2008 – e a recuperação estrondosa a partir de 2009 com a queda da massa salarial directa e indirecta – e o caminho virtiginoso de uma nova crise. A nova crise que virá, para quem vive de salário, não tem qualquer problema. Implica queda até dos preços, portanto as casas ficariam mais baratas e os bens de consumo em geral. A «saída da crise», isto é, desempregar pessoas, cortar salários e Estado Social para repor estas taxas, é que pode ser dramática para os assalariados porque no modo de acumulação em que vivemos a unidade nacional é impossível e os recursos de produção finitos – quando uns entram em crise os outros saem – esse é o grande centro nevrálgico da luta política.

«Onde o processo de reprodução…

Ver o post original 211 mais palavras

Decálogo Des-orientador (ou um octólogo com um preâmbulo) Virgínia Fontes

Raquel Varela

Zero: Somos adultos, somos iguais, queremos ser companheiros na produção do conhecimento. Nossa relação é voluntária e deve ser o mais livre possível — a qualquer momento, o “divórcio” é possível. Não pode haver constrangimentos nessa área. Para facilitar nossa vida, que tal enfrentar algumas definições? Eis algumas:

  1. Orientação não é maternidade. Mãe, basta uma!!!
  2. A tese é sua! Ela é de responsabilidade de quem a redige: louros e destroços cairão sobre sua própria cabeça.
  3. A bolsa – ou sua reivindicação – é sua prorrogativa e, além disso, não abre percentual para o orientador. Tudo o que a concerne é problema seu!!! Prazos, condições, relatórios, exigências, são os ossos do ofício. Atenção, pois a participação da orientadora nas reuniões do Colegiado não assegura conhecimento pleno de minudências fundamentais para a recepção/renovação das bolsas.

3a. A mesma regra vale para os prazos legais dos cursos. A orientação, em princípio, diz…

Ver o post original 265 mais palavras

Hitler já foi bebé

Raquel Varela

Vi com espanto um dirigente do Bloco de Esquerda em Paris, junto do memorial às vítimas da barbárie, dizer que tínhamos que defender «os valores europeus». Adriana Calcanhoto tem uma música onde nos recorda que Hitler já foi bebé. Também era europeu, lembro. Não há nenhuma associação, como querem muitos na periferia do mundo, numa síndroma de colónia que permanece, onde se sente sempre uma certa «raiva dos europeus», entre Europeus e barbárie ou europeus e neo colonialismo: aocupação neo colonial no Haiti é comandanda pelo PT no Brasil; e a África do Sul do Congresso Nacional Africano é uma tropa de choque na região; a China é uma peça de lego económica mas uma semi potência militar da região que mantém, por exemplo, a teocracia estalinista da Coreia do Norte a transmitir valores ao mundo medieval com regularidade. Agora «valores europeus» não existem, evidentemente. Ou, dito de forma…

Ver o post original 98 mais palavras

Auditoria Cidadã

Raquel Varela

Hoje o mundo divide-se entre quem legitima a dívida pública como inevitável e quem considera-a um esquema fraudulento de acumulação em que o Estado se financia não para encontrar dinheiro para serviços mas financia-se para pagar mais dívida. O sistema da dívida é hoje um sistema: usurpa um mecanismo normal de financiamento dos Estados para se tornar numa bóia de salvação de grandes negócios falidos. As moratórias sobre as dívidas tornaram-se a linha que separa a barbárie da civilização, os direitos humanos da extorsão medieval, a seriedade das contas públicas do saque fiscal.
Invocar a falta de reacção da população – prisioneira de uma vida infernal entre o trabalho excessivo e o desemprego, o embrutecimento cultural e o desconhecimento técnico e económico do que está em causa – para defender que não se pode suspender a dívida é tornar o desespero convincente e manter a miséria social que o seu pagamento…

Ver o post original 18 mais palavras

Guante Blanco

Essa semana comecei a rever uma série que havia me agradado muito em 2009, período em que tive a necessidade de estudar espanhol.

Com roteiro de Ramón Campos e Gema Neira, Guante Blanco (RTVE, 2008) é uma série policial espanhola que conta o jogo de gato e rato entre o inspetor Bernanrdo Valle (Carlos Hipólito) e Mario Pastor (José Luis Garcia-Perez), o líder de uma gangue especializada em roubo de objetos raros.

Durante os oito episódios, acompanhamos o desenrolar da trama principal na qual o inspetor Valle tentar montar o quebra-cabeça de crimes com modus operandi parecidos enquanto Pastor planeja e executa os próximos crimes.

Como pano de fundo para a caçada, temos o universo doméstico dos dois protagonistas que tentam conciliar os inconvenientes de suas respectivas atividades com o desafio de participar ativamente da vida familiar. Protagonistas “de carne e osso”, podemos dizer.

Bernardo é viúvo, tem um filho adolescente, Javier (Carlos Rodríguez Sastre), e uma filha criança, Inés (Barbara Meier). Recém-transferido para Madrid, precisa construir relações de confiança com sua superior Luisa (Yolanda Ulloa) e com seus sub-inspetores Rebeca (Leticia Dolera) e Cortés (Jorge Roelas).

Mario Pastor é todo errado. Esconde seus delitos por trás de uma empresa de fachada onde o grupo se reúne para planejar os roubos. É casado com a jornalista Pilar com quem tem dois filhos: Clara e Adrián. Se na vida pública Mário é um pilantra, na esfera privada mostra-se um pai e marido atencioso e dedicado.

Considero a atuação de todo o elenco muito boa com destaques para Jose Ángel Egido no papel de César Ferrer, um dos membros da quadrilha, José Luis Garcia-Perez (Mario Pastor) e Barbara Meie, que interpreta Ines, a filha de Bernardo Valle. A atuação de Carlos Hipólito é excepcional. Um dos melhores atores que já tive o prazer de ver atuar.

Enfim, a série vale muito a pena e ainda te ajuda a melhorar o espanhol. Você pode assistir a todos os episódios aqui

Trabalhando pelo dia do caçador

Inspetor Bernardo Valle: trabalhando pelo dia do caçador.

Bernardo Valle e sua família

Bernardo Valle e família.

Mario Pastor e família

Mario Pastor e família

As muitas faces de Mario Pastor

As muitas faces de Mario Pastor.

As muitas faces de Mario Pastor

As muitas faces de Mario Pastor.

Um brinde aos negócios

Mario Pastor e Nicolás: um brinde aos negócios.

Até a próxima

Serie Expresso Brasil

Nos meus longínquos tempos de vestibulando, acompanhei interessadíssimo uma serie que passava na TV Escola. Não lembro se o nome era o mesmo, mas o conteúdo era. Artistas falando do seu estado natal. Nessa época, acabara de conhecer a obra de Ferreira Gullar e me deliciava vendo-o recitar seus versos e apresentar os cenários que inspiraram e serviram materia à sua poesia. Vi outros episódios também: As Alagoas de Ledo Ivo, O Ceará de Falcão, O Rio Grande do Sul de Jorge Furtado, O São Paulo de Haroldo de Campos. Pouco tempo atrás, vi O Sergipe de DJ Dolores e agora na hora do almoço, O Piauí de Niede Guidon. A riquesa da serie está na escolha dos narradores, cientistas ou escritores com grande conhecimento em suas áreas mas acima de tudo capazes de fazer da sua história o fio condutor de uma síntese sobre as peculiaridades e curiosidades de cada uma das vinte e sete unidades da federação.

Vocês podem ver um aperitivo da serie no youtube

E os episódios completos no site do canal TAL – Televisión America Latina

Holstee Manifesto

Faz uns dias que conheço esse vídeo muito inspirador e gostaria de ter feito uma tradução dele antes. Por uma serie de motivos isso não foi possível. Hoje, conheci o site ciclovivo e encontrei uma tradução livre (e, infelizmente, anônima). Fiz umas pequenas alterações e lá vai!

Tradução Livre (Ciclovivo com adaptações)

Esta é a sua vida. Faça o que você ama, e faça com frequência.

Se você não gosta de alguma coisa, mude-a. Se você não gosta do seu emprego, peça demissão!

Se você não tem tempo suficiente, pare de assistir televisão.

Se você está procurando o amor da sua vida, pare. Eles estarão esperando por você quando você começar a fazer as coisas que você ama.

Para de analisar demais, a vida é simples. Abra sua mente, braços e coração para novas coisas e pessoas.

Nós estamos unidos por nossas diferenças.

Algumas oportunidades só aparecem uma vez, agarre-as!

Viaje frequentemente. Se perder vai te ajudar a se encontrar.

Todas as emoções são bonitas.

Quando você comer, aprecie cada mordida.

Pergunte qual é a paixão da próxima pessoa que você vir. Divida seu sonho inspirador com elas.

A vida é sobre pessoas que você conhece, e as coisas que você cria com elas. Então, saia de casa e comece a criar.

A vida é curta, viva os seus sonhos e compartilhe suas paixões.

Sobre o vídeo

O filme LifeCycle, feito pela Holstee Manifesto, surgiu como um desejo de trazer a energia e a paixão por trás do Manifesto para a vida através da bicicleta.

À medida que procuramos viver estilos de vida conscientes que deixam um impacto positivo sobre as pessoas e o mundo ao nosso redor,
andar de bicicleta tornou-se uma paixão que é muito mais do que uma alternativa de transporte. É uma maneira de viver plenamente a cidade que amamos e todos os seus detalhes.

Este filme é uma celebração. É uma celebração de reuniões, da diversidade, da vida e da beleza da experiência compartilhada.